Postagem em destaque.

segunda-feira, dezembro 05, 2016

Deriva





O devaneio de um coração tristonho não entende o sacolejar da vida, confunde a maresia da tristeza com lágrimas de sofrimento. Na maré da vida, o comemorar se faz arrebentação em rochas, instantâneo, forte, de impacto e breve.

Já a tristeza que sinto, nota-se pelo balanço do meu barco que encontra-se em meio ao norte, sul, leste e oeste, mesmo perdido e sem direção, sinto a constância da solidão que balança meu mastro, e da vida a minha bandeira...Esperança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário