Postagem em destaque.

sexta-feira, setembro 16, 2016

Confio em ti.




As vezes é preciso lutar contra você mesmo, isso não é novidade, vivemos em um mundo onde por inúmeras vezes eu tive a total certeza de que o universo esta contra o seu bem estar, mas eu confio em um força maior que esta ao meu lado sempre, mesmo que eu não consiga entender por completo, sei que tudo não pode ser do meu jeito, sou teimoso e assumo meu defeito, mas as vezes os meus pensamentos são maiores do que a sua voz, meu Pai.

Me perdoe por as vezes duvidar da sua existência, é que me sinto sozinho e mesmo ajoelhando o frio ainda percorre a minha espinha, sou um boa pessoa, busco sempre fazer o bem, então me dê um sinal e me explica de onde tudo isso vem ?

 Aqui no meu quarto sozinho, perante ao silencio e o universo, sou pequenino demais para entender os teus planos, quero ficar quieto na segurança do teu colo pois sei que aqui é minha segurança e o melhor pra mim.

Rezar, confiar e ter a certeza da minha fé, não sei o tamanho dela, mas dizem que se for do tamanho de um grão de mostarda, eu posso mover montanha, e moverei.  Tenho me feito forte e resistente, mas o meu interior esta em chamas,não quero colocar limites em meus sonhos, tenho apagado a minha ardência com esperança pois a luz que me guia é bem mais forte do que os olhos que me rodeiam.

Por que é que as coisas estão tão difíceis, parece que é difícil só pra mim, minha ilusão vai alem do que eu vejo, mas mesmo que eu não entenda tudo isso, e as vezes não concorde passar por tudo isso, eu confio plenamente no senhor e sei que de ti eu só receberei o mais puro amor.

Um ponto de luz em meio as trevas, sempre sera alvo de olhares e ataques, pois então fortifique o meu exercito e permita que eu não seja invisível aos olhos do mal, mas sim intocável.

Que assim seja,  Amém !



quinta-feira, setembro 15, 2016

Pedido






Metade de mim esta sem rumo
O que vou fazer perdido
A outra metade eu não assumo
Me resta apenas fazer um pedido

Estou sem o meu abrigo
Eu quero dar um passo
Estou meio constrangido
Um rumo diferente

Quero te mostrar
O que ainda não viveu
Olhando nos teus olhos
Eu quero te dizer

Não olha na minha cara
Some da minha vida
Estou estagnado
Siga o teu caminho

Hoje estou sozinho
E agora assim vai ser
Não quero mais você
Então vai se Fud....



Minha Flor




Senta no meu colo
Me chama de meu bem
Você não faz ideia 
Do que sou capaz 

Então esquece essa rotina
E se entrega pra vida
Se estiver comigo
A gente se arruma
Não posso esconder 
o que tenho pra falar

Te levo pra longe
Pra gente se amar
e eu tenho a certeza
que só eu vou te notar

Perdida em meio a selva
Sozinha por entre a vida
Ali no meio
Quase imperceptível
Como algumas coisas na vida. 




quarta-feira, setembro 14, 2016

A mensagem!


Hoje não vamos dividir a mesma cama, não vamos suar no mesmo lençol, então vamos combinar uma coisa :  Hoje antes de deitar-se, faça das suas mãos as minhas e permita que eu invada os teus segredos no silencio das águas, conduza-me aos doces sentidos, levando-me na viagem do momento, o fluido quente da vida gotejando e misturando-se as gotas de água, endoidecidos espasmos, trémulos orgasmos, a flor carnal irrigada pela pulsação da vida, intensidade especial de profundo prazer.

No jogo da malicia e no desassossego da respiração a seda da sua pele é valiosa, meu rastro é inevitável e denuncia o meu crime, onde você é minha cúmplice fiel.

Cumplicidade consentida, faz a poesia ter sentido no instinto carnal.

Deite-se nua, estique-se na cama, solte e relaxe seus membros, forme um X e deixe que o resto de agitação do seu dia escape pelas extremidades e relaxe, durma e tenha um sono restaurador.

Ao acordar, dirija-se ao espelho mais próximo e se jogue, encare-se e imagine a minha voz pedindo que você de uma volta para que eu admire-a, meu sorriso canteiro e o olhar certeiro lhe confirmaria o meu encanto, você é linda assim, eu te quero assim e te desejo assim.   

Agora responde a minha mensagem, quero saber se vamos nos ver Hoje !

Epílogo


Tenho certeza que ainda pensa em mim, não é possível que só eu esteja assim.

Quando um grande amor se vai, não vai assim, por fim....é semelhante de ambos os lados,sofrer.

O mundo costumava girar quando eu estava junto de você ou quando pensava por algum segundo em te ver, teu cheiro, teu corpo, forma de me olhar, e a nota suave do seu falar enquanto segurava as chaves do portão.

Hoje o mundo para e eu não me concentro em mais nada, parece que tudo é sugado pela sua imagem como um buraco negro, suga ate minha alma e isso é um empurrão na beira do penhasco.

Queda livre nas lembrança, lembro de coisas que eu nem sabia que poderiam ser lembranças, no começo eu me desesperava, debatia, balançava a cabeça e dizia pro subconsciente, chega ! Acabou! não quero mais!  

Lagrimas me escorrem dos olhos, eu já procurei um outro alguém, mas me serviram apenas de passatempo e isso não quer dizer que eu preciso ou quero você, não... nada disso!  Por enquanto quero deixar tudo como esta, tenho me acostumado a pular do penhasco, já conheço a maioria das pedras, ja não me machuco com qualquer tropeço, digo ate que perdi o medo e to começando a voar.

Minhas asas estão livres, abertas e dispostas a alimentar o ego.

terça-feira, setembro 06, 2016

06/09/2016




Duas cadeiras acolchoadas em frente a cama King size, sobre ela jogo duas cordas e uma algemas.

Fique em minha frente e feche os olhos, vou te vendar e a partir de agora conduzo os teus movimentos, ainda de roupa quero sentir você, minhas mãos vão codificar cada curva sua, tire sua blusa enquanto com os dentes eu abro o botão da sua calça, deixe que ela caia sozinha e respire fundo.

Dê-me a mão e vamos ate as cadeiras, antes de sentar, engancho os dedos nas laterais da sua calcinha e num só puxão estouro todas as custuras... as cadeiras estão posicionadas com a distancia de 10 cm uma da outra, quero que sente com uma nádega em cada cadeira, deixando o cu e seus carnudos lábios suspenso no vão entre elas, isso fará com suas terminações nervosas fiquem mais sensíveis.


Com a algema vou  prender seus pulsos para trás das cadeiras, as cordas vou amarrar suas pernas, uma em cada cadeira para que eu possa controlar a abertura delas em breve, sinta o silencio pois eu não vou tocar em você por alguns segundos para que seu corpo se adapte a posição.

Depois de algum tempo no silencio e intocável, ergo os seus cabelos para que deixe sua nuca visível, dou um único beijo e me afasto, ainda segurando os seus cabelos, com uma das mãos desliso os dedos pelo teu ombro esquerdo ate chegar no pulso, pulando as cordas fecho a sua mão por dentro da minha apertando firme, solto os teus cabelos para que caiam por onde quiser.

Sussurro em seu ouvido se quer que eu pare e independente da sua resposta eu não irei parar, com o silencio e você vendada consigo sentir sua respiração, vejo teu corpo reagir a cada movimento meu, te assisto e admiro de longe, os músculos da sua perna pulsam em espasmos encantadores.

Sem esperar o meu toque, te dou um beijo no calcanhar e subo a minha língua pela sua perna em direção a sua virilha e antes que eu pudesse chegar, afasto-me de ti.

Olho por de baixo das cadeiras e vejo seu sugo acumulado, pronto para pingar... seria um desperdício deixar isso cair no carpete, deito-me por debaixo das cadeiras e abro a boca sedento para que teu mel caia, mas não resisto em esperar, vou em busca dele e encho a minha boca de todo o desejo afrodisíaco que lhe escorre, não desperdiço uma gota se quer, aproveito para me deliciar com o cu que pulsar e piscar a cada lambida !

Desamarro suas pernas para que você possa coloca-las em meus ombros, onde eu ficarei por um bom tempo enquanto massageio os teus seios e arranho sua barriga !

Chega de amarras, mas não vou abrir a sua algema, vou corta-la com um alicate para ter a sensação de lhe salvar de um vilão, onde te salvo de mim mesmo !

 

segunda-feira, setembro 05, 2016

Pernoite.




Eu ordeno que fique de joelhos e apoie os teus cotovelos sobre a cama, solte os cabelos e deixe-os caírem sobre o colchão, arrebita a bunda apontando-a para o céu, eu quero deslizar a minha língua, romper o teu véu em uma viagem desde a tua nuca em busca da sua buceta sedenta e molhada, contornando o teu cu, quero sentir pulsar o teu sangue em minhas mãos, deixe o néctar escorrer em minha boca, desmaie seus sentimentos sob o meu prazer.

Esqueça a ausência das fragrâncias do amor, hoje o cheiro é de sexo, encurtarei a distancia entre os nossos corpos em um laço de abraço incomparável, estapear as tuas nádegas brancas para que fique cravado a marca dos meus dedos, apossar-me dos teus seios como joias preciosas e lapida-los com os lábios!

Esconda o silencio no gozar de cade gemido contido e eu farei do teu gozo o meu mais novo verso enquanto me resta ainda ser o perverso, umedeça as cores do meu lado animal, excitação.

Abra as pernas, permita-se ao ritual, deixar minhas marcar em teu corpo faz parte do meu prazer, ira acordar cheia de hematomas os quais irei dedilhar e contar cada um deles presenteando-lhe com a certeza de um amanhecer incomparável, sinta ainda minhas mãos sobre os teus seios pintando a mais bela poesia; BOM DIA!