Postagem em destaque.

sábado, dezembro 31, 2011

Como Tem que ser !



De repente assim, você se tornou o motivo dos meus sorrisos sinceros


Posso não ser o que você merece, mas eu dou a minha palavra de que farei o possível para ser o que você precisa!

Dizem que eu mudei, eu não mudei, só não tive mais motivos pra ser como era, sempre fui apaixonado pelas palavras, mas de certa forma são insignificantes, posso escrevê-las, posso dizê-las a qualquer pessoa, sendo mentira ou verdade, são palavras!

Gosto de Tudo isso, mas tenho que te dizer que prefiro outra!

Outra maneira de Dizer
Outra maneira de Sentir
Outra maneira de Viver

Quero que passe a olhar-me de outra forma quando tento lhe dizer algo, não fique atenta ao que sai da minha boca, use a atenção para ver outras coisas, como os meus olhos que não saem do teu rosto, percorrendo o teu pescoço que me conduz ao singelo decote, estou sempre arrumando os teus cabelos e quando nossos dedos não estão intercalados, minhas mãos nunca estão quietas.

Não tenha medo de Pular, se tiver asas com certeza vai voar deixando o vento levar-te ate o outro lado!




Oculta frigidez





Tenho Vontades e desejos uma incessante e louca dependência dos teus beijos
Um ritual de calor, fome, sabor, misturados em paixão
Jogados na cama sem medo de ilusão
Orelhas ardentes
Corpo Pulsante ao toque

Começa num beijo ao peito do pé, Deitada em meu leito
Deixas o desejo Tomar conta de ti
Por aqui eu vou Subindo e Sentindo
Enquanto você me olha Sorrindo

A intenção é lhe provocar
Umedecendo-lhe
Com um gelo que derrete ao te tocar

No gume de meus lábios
Tua pele se encaixa
Deixando os rastros das provocações
Lábios gelados a Deslizar

As pontas do Gelo meus dentes Serram
A língua fria contorna aos lábios sedentos
Os dedos preparam o caminho contente
Abro-me a boca para que o gelo escape
Indo de encontro ao ponto Fervente

Por lá se Perde
Faz-se derreter



A morte da Bezerra desmamada



Era apenas um ponto branco quando a distancia se tinha
Pequenino feito os dentes da menina
Que aos prantos alarmava o que via
Dizendo ao pai que a Bezerra Partia

O Velho de Durão se Fazia
Enquanto a Garota nas tuas pernas Batia
Branca la no pasto estava
A Bezerra que tão pouco mamava

Da insistência da alma Pequena
Foi-se informado que falecia
A pobre Bezerra  Desmamada
Assim como se via, Que Pena






sexta-feira, dezembro 30, 2011

Devaneio



Dizem por ai.....
Que eu ando sorrindo, pulando e indo
Cantando e dizendo que dia Lindo
Olhe por ai
E tente entender Sozinho, se estou realmente rindo
Achando e fazendo tudo que vinha vindo
Pense, Diz ai
Cantando sorrindo ?
Ou Dizendo e indo ?






Friamente Adorada



Estende-me as mãos como se me implorasse por um abraço

Por que agora  ?

Não antes, quando ainda tinha abraços o suficiente para envolver-te por todas as curvas, nunca olhou-me com esses olhos de pedinte, pois então se ainda lhe resta dignidade, abaixe esses membros tire o sorriso do rosto, mudando essa Falsa feição de Afeto.
Eu não tenho e nunca tive obrigação de lhe deixar a vontade, mas sempre me senti bem ao lhe ver sorrir, era natural, espontâneo e não tinha comparação com o que me oferece hoje, arrependido, falso, interesseiro, e insignificante !

Eu cheguei a ser o que nunca fui pra ninguém decidi poupar os meus instintos, controlar minhas vontades e talvez eu deva lhe agradecer por isso, hoje o que me feriu é o que me protege, meus sentimentos estão decididos e por você hoje não sinto nada !

Ofegante




Tenho pensado bastante
Deixando as coisas mais livres, soltas, mais naturais
Ficar tentando moldar um caminho ou uma direção para seguir vem me desgastando
Vou retirar as rosas do vaso
E derramar a Água
Torcendo pra que ela siga o caminho mais confortável, como sempre
 Desviando-se dos obstáculos
Ou que passe por cima de todos
Quando somente contorná-los não for o indicado
É preciso sentir dificuldade pra valer à pena
E caso ela se perca no caminho
Que por La fique ate evaporar

Pois então voltara como chuva
Natural
Livre
E Solta para o vento levar pra onde quiser

quinta-feira, dezembro 29, 2011

Não Podendo, Esquecerei !



Acostumei-me a sentir sua falta, mas preciso confessar, dói muito dormir todos os dias pensando em você
Pensar que pensas em um outro alguém, sonhar contigo me Corroí.
O que dói mais é acordar sem sua voz a qual me acostumei fazê-la de despertador

Se eu soubesse que isso seria um martírio, não teria deixado perder o brilho
Teria feito tudo como diziam meus pensamentos, como conduziam os meus desejos
Eu tenho certo medo de um dia acordar com você, não acredito que venha a ser tão bom como era antes, tenho saudades......mas acho que isso tem me trazido repulsas de tudo que é teu !
Por mais que eu lembre da voz Doce, ela trás todo o amargo
O toque suave, parece ferir a minha pele
o Beijo molhado, hoje resseca, racha-me os lábios

Mesmo que eu mude toda minha rotina, minha vida, sempre haverá algo nessa repugnante cidade, algo na minha inútil Jornada de esquecimento..... que vai lembrar-me de você
Chego a pensar que é Impossível te esquecer.


Talvez me esquecendo, eu esqueça que preciso esquecer essa mania de esquecimento e acabo lembrando que deveria esquecer-me de tudo que havia lembrado quando precisava ter esquecido.











________________Em  Parceria com Vitoria Alice

So mais um Dia



Um dia eu Canso
Noutro estou disposto
No próximo o Oposto
As vezes o Desgosto
Vem gosto de esgoto
Refresca-me o Esófago
Com prontidão e Podridão
As vezes penso em Pedir perdão
Mas tenho aquela sensação de ingratidão
Ate mesmo do que se diz ser tão bom
Talvez eu não tenha um Motivo
E se eu ainda estiver vivo
Tenho a certeza de que farei o possível
Para morrer mais um Pouco !






quarta-feira, dezembro 28, 2011

Fabulosa



Não é um Simples Toque
É algo mais ousado
Algo mais fechado
Um Toque delicado, que não se faz em qualquer um
Precisa ser amado
Estar um pouco Vinculado
Um toque assim de Lado
Com vontade de ser Molhado
Um Toque Próximo ao coração 
Mas que é Ligado direto ao Tesão.....Com uma pitada de Afeto 

Um toque se Prolonga 
Continua presente 
apos a partida
Retarda a Sensação de despedida

Um toque que deixa-te presente
Faço meu caminho
Cheirando os Dedos 
E mordendo as mãos 


terça-feira, dezembro 13, 2011

É Simples



Olhe nos olhos dela e tente encontrar o que procura, já será um bom começo se isso for permitido..... mas se ainda assim tiver duvidas, não desista, apenas deixe de tentar vasculhar, as coisas iram acontecer como tiverem que ser e nada que você faça, fará com que o fruto ainda verde se torne maduro em suas mãos !

Confie no tempo, ele é um bom aliado para os que dizem verdades, não que as mentiras não sejam fortes, elas tem o mesmo poder de uma grande verdade, mas não resistem ao tempo !

E se um dia for questionado, diga tudo que lhe incomoda, tudo que sempre teve vontade de dizer e no fim Conclua : Eu não vim aqui pra dizer que não posso viver sem você.
Eu posso viver sem você... Mas eu não quero....

segunda-feira, dezembro 12, 2011

Pedido Concedido




Devo Agradecimentos a Lua por permitir que os fios negros inundassem meu lençol branco que faziam conjunto com um par de pernas que o meu desejo, fazia borbulhar,  Ahhh.... se eu pudesse confessar que são exatamente como imaginei, Fartos, apetitosos e cobertos por uma pele que de longe é a mais macia que toquei !

Minhas mãos palpitam pelo toque em busca de uma demorada exploração do corpo que reage de uma forma encantadora e excitante, minha boca desliza por lugarem que os olhos já conhecem mas se alucinam e se perdem ao admirar, as palavras dão espaço aos Atos que geram gestos que expressam uma sintonia em Ótima construção....

Enfim, agradeço a por dar espaço ao sol, iniciando o dia como planejados e por fazer da noite uma das melhores !

sábado, dezembro 10, 2011

A água que me acalenta






Porta entreaberta, escuto o chuveiro ligado e minha ousadia impulsiona as pernas para o desejo de vigiar-lhe !

Entro no banheiro calmamente, coloco uns dos pés sobre o vaso e sobre o joelho apoio o cotovelo que sustentava minha cabeça cheia de pensamentos, pensei em lhe chamar antes que me descobrisse, mas preferi que a surpresa desse conta da descoberta.

Meus olhos percorreram as costas daquele corpo como se estivessem diante do perigo, os pequenos movimentos, fixaram minha atenção nas nádegas que brilhavam com a cobertura de água que as banhavam, os cabelos de fios negros caídos pelos ombros dançavam conforme a água escorria, as pernas roçavam em pequenos atos.

Contentava-me em morder-lhe a distancia.

Resolvi aumentar a surpresa, apaguei a luz e fui ao teu encontro, abaixei-me lhe tocando delicademente os calcanhares, fui subindo as mãos lentamente enquanto você Sorria por já saber quem a tocava, massageei as panturrilhas como se estivesse colhendo algodoes, deslizei meus dedos pela parte interior das coxas ao chegar no contorno das curvas do quadril, cravo meus dedos como se estivesse colhendo um fruto daqueles suculentos que ficam no topo das arvores, trouxe-a mais próximo de meu rosto para que pudesse colocar minha aventureira língua para percorrer por onde fosse permitido, contornei o umbigo indo em direção aos seios por onde passei sem dar muita atenção ( ainda não era a hora deles ) .... minha boca sedenta pelo pescoço que respondia rapidamente aos meus beijos (causando em mim sensações que...) deixava-me cada vez mais ousado, ate que meu lado animal começa a falar mais alto.

Passo uma das mãos pela nuca, deixando que os fios envolvam meu dedos que se fixam ali como se eu pudesse controlar os movimentos de sua cabeça, meu braço envolve tua cintura e eu me esqueço que ainda há roupas e molho de vez as vestes, pondo-me sob a água !

Minha boca pedia os brancos seios que estavam aconchegados em meu tórax, desci vorazmente ate eles que de encantadores se encaixavam perfeitamente nas minhas mãos, faziam-se fartos em minha boca, aquela pele macia realizava meu Fascínio, busquei a toalha, envolvi nossos corpos nus juntando-a em mim com meu abraço e lhe beijei a testa levando-a ate o quarto.....Onde terminamos a Noite !

domingo, dezembro 04, 2011

Viver ao morrer de Saudade





Não me questione sobre as roupas jogadas pelo quarto, muito menos me pergunte sobre os fragmentos de saudade que invadem meus pensamentos....Fazia tempo que eu não rolava na cama sem um motivo concreto, não consigo pensar em nada continuo, tudo que lembro, esta quebrado ou rompido !

Você me olhou com aqueles olhares acostumados, só dividia sorrisos pela metade e até seus abraços eram distantes.. Eu ficava vendo tudo de fora, anestesiado de certa forma. O tempo trata de acostumar. Às vezes me pego vendo o pôr-do-sol perdido em algumas lembraças como a da primeira vez que te vi .. ah, meu sorriso se refletiu nos teus olhos, eu me encaixei neles. Me encaixei em cada conversa inteligente em tudo que era intrigante em nós. Tinhamos tudo sem ser nada, éramos mesmo tudo ou nada. E fica aquela ausência, aquele silêncio que agride, não sei bem o que pensar, pensar.. Quando foi que começamos a nos perder um do outro? Hoje meus nós que desatavam em nós, não desatam mais. Caberá ao tempo me fazer entender toda essa dor? Quem saberá?

As vezes tento abrir a janela do meu quarto e deixar que todas lembranças voltem e inundem a minha vida, talvez amarre uma lembrança na outra, separando as roupas sujas e me fazendo ter animo para dar um jeito nessa Bagunça !  Sabe, as vezes fico me perguntando porque não faço as coisas na hora que me da a vontade, quando aquilo esta vivo, quente e borbulhando...Seria muito mais fácil digerir algo Fresco !


Outras horas paro e percebo que a melhor forma de dizer algumas coisas é ficando calado. Quer saber? Vou parar de pensar! vou me deitar e dormir, deixar cada ideia se consumir. O filtro do tempo trata de colocar cada coisa no seu lugar, e em tudo ele tem sua razão. Vou parar de olhar para trás, caso contrário, nunca vou andar pra frente.

Ou então, o certo a fazer é sair desse quarto, correr descalço pelo jardim feito de pedra, imaginando estar correndo em um campo, abrir meus braços sorrindo dizendo bom dia pra quem olhar-me com indignação, Apenas não quero que me questionem sobre a Saudade !   




Me fale sobre qualquer coisa, só não me fale de saudade.




__________________________________________________Em  honrosa parceria com João Azevedo !

sexta-feira, dezembro 02, 2011

Que seja Feliz



Hey, vá com calma mulher..... não queria cutucar a autoestima
Eu conheço inúmeras palavras que destruiriam a tua, mas fariam mal para mim, não estou nessa sintonia, não quero perder tempo, explicando e expondo o que na verdade tem que ser guardado pra nós mesmos !

Pois então Entenda, Sorria, não fique querendo desmotivar quem esta motivado, procure gostar de você, tem tudo pra ser uma ótima mulher, mas parece que teima em ser repugnante diante das tuas qualidades.

Mas eu acredito que a sua inferioridade ainda irá aprender que pode caminhar, para frente... Ai eu vou poder dizer que sempre Lhe vi assim.......Uma Grande mulher !        

Castanho Escuro



Você pode ter certeza, esta fazendo de mim uma pessoa melhor ... Não me sinto aquele ser estranho que todos olhavam como alguém que não poderia dedicar nenhuma verdade.

Meus Carinhos eram sempre falsos e o que eu dizia pouco me importava, meus toques eram frios e sem sentimento... e hoje lhe toco querendo que sinta nas extremidade dos meus dedos um pouco da verdade que estou sentindo, lhe toco por que sinto vontade e não porque apenas te quero !

Me sinto bem em olhar nos teus olhos, acredito que posso demonstrar o que realmente sinto pois realmente estou sentindo, não é como antes, fazer com que os olhos transmitissem algo que eu  não tinha..!

Talvez eu possa dizer que hoje sei a cor dos meus olhos, nunca tive curiosidade de parar em frente ao espelho e saber qual era a visão que tinham de mim !